FÍSICA: abuso físico, maus-tratos físicos ou violência física – referem-se ao uso da força física para compelir os idosos a fazerem o que não desejam, para feri-los, provocar-lhes dor, incapacidade ou morte.

SEXUAL: abuso sexual, violência sexual – referem-se ao ato ou jogo sexual de caráter homo ou heterorelacional, utilizando pessoas idosas. Esses abusos visam obter excitação, relação sexual ou práticas eróticas por meio de aliciamento, violência física ou ameaças.

PSICOLÓGICA: abuso psicológico, violência psicológica ou maus-tratos psicológicos – correspondem a agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar os idosos, humilhá-los, restringir sua liberdade ou isolá-los do convívio social.

ECONÔMICA/FINANCEIRA: abuso financeiro e econômico – consiste na exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou ao uso não consentido por eles de seus recursos financeiros patrimoniais. Esse tipo de violência ocorre, sobretudo, no âmbito familiar.

ABANDONO: manifesta-se pela ausência ou deserção dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção.

NEGLIGÊNCIA: refere-se à recusa ou omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos, por parte dos responsáveis, familiares ou institucionais. É uma das formas de violência ais presente no País. Manifesta-se, frequentemente, associada a outros abusos que geram lesões e traumas físicos, emocionais e sociais, em particular, para as pessoas que se encontram em situação de múltipla dependências ou incapacidade.

AUTO-NEGLIGÊNCIA: refere-se à conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou segurança, pela recursa de ter cuidados consigo mesma. Neste caso, não se  trata do “outro”, mas da própria pessoa idosa que comete a violência.